Notcias

Indefinio sobre poltica do etanol pe em dvida futuro do carro a lcool

Em 14/01/2012 s 06h20 - Atualizado em 19/01/2012 s 00h20

Verso para impresso
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

O Brasil comea o ano de 2012 cheio de incertezas sobre um programa que j foi modelo para outros pases. Vamos mostrar o que acontece com o nosso etanol. O ano que passou teve queda de safra de cana e de produo do combustvel, ao mesmo tempo em que a frota de carros flex aumentou.

Ser ainda E de econmico? Ou a letrinha que anunciava o preo baixo do etanol agora est mais para E de esquecido?

O brasileiro deu um tempo no etanol, e no foi por falta de amor. "O amor continua, mas precisa valer tambm a parte financeira", brinca uma mulher.

O combustvel, bonito por natureza, nosso por excelncia, j foi uma pechincha. Mas agora, at quem no faz a conta porque tem um velho modelo que s roda com lcool percebe a diferena: "Pensava que seria melhor, mas hoje o lcool d quase o mesmo valor da gasolina", diz o pedreiro Clodoaldo.

No precisa nem voltar ao tempo, em junho de 2009, na mdia nacional, um litro valia 56% do litro da gasolina. to simples, que muito motorista faz as contas na calculadora do celular, por uma questo de diferena na eficincia dos combustveis, se o lcool custar mais do que 70% do preo da gasolina, no vale a pena.

E como em toda crise, existe uma enxurrada de motivos: duas quebras de safra, menos cana, menos lcool. Ainda mais com usineiros aumentando a produo de acar para exportar. Com tudo isso, nem a reduo na quantidade de lcool que misturada gasolina ajudou nos preos. Tremenda cala curta.

mais um momento de incertezas em uma histria com alguns sobressaltos, que comea no tempo em que 80% do combustvel que abastecia nossos carros vinha de fora do Brasil. Isso foi nos anos 70. Uma crise na oferta internacional de petrleo pegou o Brasil de surpresa e surgiu o chamado Pr-lcool, e chegou s ruas um carro para entrar na briga com o motor a gasolina.

Nos anos 80, veio a conquista do espao. O movido a lcool ultrapassou a concorrncia e em 86 chegou a quase 700 mil unidades vendidas. Depois de boas voltas na liderana, comeou a faltar lcool nos postos e o brasileiro deixou o carrinho para trs. At que, em 2003, aparece um novo modelo na pista: um carro, com dois combustveis.

O flex j chega acelerado, assume a ponta em 2006, passa de 2,6 milhes de unidades vendidas em 2010 e, apesar de ainda ter mais de 80% das vendas, perde um pouco de velocidade pela primeira vez no ano passado. E agora?

A realidade hoje uma quantidade cada vez maior de carros flex nas ruas brasileiras. Enquanto a produo do etanol hidratado, aquele que vai direto para a bomba, cresceu muito, mas perdeu flego em 2010 e tomou um tombo de 30% no ano passado.

Fim da linha? Longe disso: "No tem uma frota capaz de usar um bicombustvel em to larga escala como est aqui. E a gente no deve abrir mo disso, no. Isso um destaque, um privilgio do consumidor brasileiro", conclui um economista.

Tags relacionadas: noticias de muria, etanol


Envie seu comentrio






Cdigo de confirmao

Notícias de Muriaé Notcias Esportes Entretenimento
Rua Alexandre Barroca, n 330, Bairro So Francisco, Muria-MG, CEP 36880-000

Todos os direitos reservados a Notícias de Muriaé

As informações de site são constantemente atualziadas pela Equipe da Notcias de Muria. Ressaltamos que o Notícias de Muriaé reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.